Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AS MÃES, AS MARIAS, OS MAIOS

mães
dos pobres, dos partos, dos portos, dos pratos,
dos peitos grandes, do leite farto, do leito ausente,
descei  – já – dos altares!
sede como as  mães de pés sem chão.
Brincai de despir o colo sem aflição
[como as amas-de-leite]
e os suporte filhos
de todo peso a comer-vos seios;
como faltam dentes
em vossa boca murcha:
amamentada!

[dai-me o que comer]

mães
dos fatos gastos, dos sonhos prontos, dos pais ausentes
dos filhos mortos, dos beijos-pranto
com as mãos em cruz;
descei – já – dos altares!
sede como as mães sem a pronta sede.
Comprai cordões de ouro barato
[como as madrinhas]
nos camelôs das praças em dias de sexta-feira
presenteai os resguardos
sem furar orelhas:
não vingados
[seja homem ou mulher]
filhos são filhos!

[dai-me o que beber]

Ave-Marias, cheias de graça
no chão do Brasil ou numa praça d’um maio,
descei – já – dos altares!
não desmaiai à toa
necessário lutar
para que novas Marias não murchem Vossa boca.
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 30/03/2006
Código do texto: T131024
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19522 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:33)
Djalma Filho