Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

(Imagem de Ana Catarina Rodrigues, "sabe bem)

SEM MAIS, ...ADIANTE


Eu sei
que o tempo já passou,
que o pranto já secou
num exato
instante.
Tem mais,
eu sinto que eu vou
sentindo que ainda estou
bem antes
do tempo que mudou,
do teu silêncio e dor,
da lua que ficou
minguante.
Em paz
eu sinto que estou
erguendo o que restou
da amante.
Quem mais
se não o que eu sou
pode dizer sem dor
que sabe que eu vou
seguindo meu amor
por mim, continuar
brilhante.
Sem mais,
sem menos, sem amor,
com pouca ou muita dor
eu sinto que ainda sou
brilhante.
Não mais,
eu sinto que não sou
o que me fez pensar
o instante 
daquele que calou,
do amor que amedrontou 
o que pensava ser
gigante.
Sem mais,
eu sinto, mas não vou
seguir gritando dor,
eu sou meu próprio amor,
e sem nenhum pudor
já não me sinto mais
errante.
Sem mais,
sem esperar além,
viver agora e não
adiante.



Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 31/03/2006
Reeditado em 31/03/2006
Código do texto: T131581

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154043 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:02)
Débora Denadai

Site do Escritor