Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Série Novos Poetas no SacPaixao: Cavanhas

Tempestade

Alguns pingos de solúveis noites encharcadas.
E um pobre e infinito lamento de sonhos que você inventa para ter charme.
Enquanto a janela canta no compasso da força do vento.
Que beija a vidraça e deixa tudo perfeito.
Solidão que faz triste um sorrir gelado para um bonito quadro.
Que beija a vidraça e deixa tudo perfeito.
Enquanto a janela canta no compasso da força do vento.
E um pobre e infinito lamento de sonhos que você inventa para ter charme.
Alguns pingos de solúveis noites encharcadas.
Tempestade.

Universo

Lugar imenso para o desconhecido.
Muito para se percorrer
e desvendar as coisas que você busca
e não encontra.
Em algumas constelações você encontrará surpresas.
Mas isso é o que vai fazer você ir atrás dessas órbitas.
Essa dúvida vai te deixar sem sono.
Vai agir como se fosse a sua cachaça.
Quando você abrir a janela
verá que existe um linha finita para seu olhar.
Você quer ver, mas não alcança.
Isso vai fazer você tomar mais um gole,
bisbilhotar as gavetas e revirar as prateleiras.
Mas você vai ficar sem muitas respostas.
Então procure chegar no telhado da sua casa.
Lugar imenso para o desconhecido.
Universo.

Radiação

Palavra que causa alguns medos
e faz com que as pessoas fiquem
com os nervos aflorados.
Isso é algo que é tido como muito mal,
mas não seria assim tão mal o tempo todo.
Acho que é bom absorver esse tipo de energia.
Quem sabe assim um pouco mais mutante,
seja possível testar a sua força,
a sua energia.
Você estaria simplesmente causando uma reação,
juntando duas forças.
Isso resultaria em algo!
Um ser resistente e muito forte,
parecido com o chumbo.
E muitos medos iriam embora
e nada mais poderia tirar sangue de você.
Tudo seria em vão.
A saída seria te deixar em paz, do seu jeito.
Seria maravilhoso.
Palavra que causa alguns medos.
Radiação.

Música

Aquele ruído que te alivia,
emanado pelo seu fone de ouvido,
enquanto você explora o mundo pela internet.
Esse conjunto de ruídos,
que juntos fazem de você um garoto
um garoto sem muitos desejos naquele exato momento.
Você precisa apenas continuar injetando som no seu ouvido.
Regando suas veias dessa ampola de som,
que você precisa para viver.
Enquanto que o seu quarto fica imenso.
E a sua janela deixa sair a luz do monitor
e te mostra os galhos das árvores.
O jardim que alguém rega.
E se você espiar quem sabe pode encontrar algo lá fora.
Mas você sabe que ser diferente é ser assim,
igual a você.
Aquele ruído que te alivia.
Música.

Literatura

Um caminho que faz com que você chegue até o grande lago
e olhe para ele.
Você gosta do que ele mostra,
aquela cara que você tem,
isso faz você rir.
Na beira do lago você sabe que nada está te impedindo.
E você parece sentir uma necessidade imensa de mergulhar.
No lago existe uma força que vem buscar.
Ela é mansa e vai chamando você.
Quando menos você espera acontece,
e nada mais pode impedir que você vá para o fundo,
e cada vez mais fundo, e mais fundo, e mais e mais,
e mais fundo.
Um caminho que faz com que você chegue até o grande o lago
e olhe para ele.
Literatura.


Conforto

Sensação de ficção.
Um ponto que você olha.
Uma força que te deixa em paz e faz você flutuar enquanto pinta o céu.
Na varanda, uma plataforma para ganhar os sonhos,
alcançar as visões lindas enquanto se chega ao infinito.
Uma força que te deixa em paz e faz você flutuar enquanto pinta o céu.
Um ponto que você olha.
Sensação de ficção.
Conforto.


Voando


Insano na disparada;
Quilômetros passados;
Cansado... olhar para trás: perdido o caminho;
Agora... o olhar em frente: perdido o destino;
Concentrado no chão: perdido o solo;
Em meio ao nada;
Loucura em pulsação;
De repente: em viagem;
Meus sentidos sentem: a mente e o corpo;
Voando, voando, voando, voando...
Que pena: é só um sonho!


Espaço


Sóis e luas;
Estrelas nuas;
Galáxias e fissuras;
Relógios bombados;
Tempos afanados;
Pingados de mel;
Loucos e apavorados;
Não é morango, nem jiló;
Apenas fogos e sacrifícios;
Assim, de tão doces tortuosos.


Éden


Campos longos e verdes;
Maçãs maduras;
Rios doces;
Oliveiras cruas;
Pimentas vermelhas;
Rosadas montanhas;
Coloridas trilhas;
Infinitas colinas.


Biscoito

Na janela
e você quer.
Então parece que é tão lindo.
Ideal!
Mas a tia avisou que você precisa se comportar.
O biscoito tem algo mais.
Essa é a maldição do atrativo.
Os olhos e a pergunta.
Então fique na sua.
Toque seu violão baixinho,
afinal você não quer problemas.
Certo?


Vidros


Estão ali...
você vê a calçada como está.
vidros.
Estão ali...
Cintilando,
brilhando.
Vidros.
Estão ali...
quebrados,
como tudo que você tinha.
Vidros.
Estão ali...
cacos,
parecem seus discos que voaram.
Vidros.
Estão ali...
bem ali onde você pode ouvir o último show.
Vidros.
Estão ali...
pintados de sangue.
Vidros. Estão ali...
onde você cortou sua roupa.
Vidros.
Estão ali...
Vidros...
Vidros...
Vidros cara!
São vidros.
Vidros.
Estão ali...
em qualquer lugar.
Vidros.


Mundo


Aquela revista é muito velha,
cheia de notícias e figuras.
Eu tenho uma pilha delas, figuras, jornais,
um mural que fiz para o mundo.
Está bem aqui no meu quarto,
em destaque na parede,
bem ao lado do pôster do Pink Floyd.
No meu quarto tem muitos discos,
muitos de vinil.
Estão logo ao alcance do meu aparelho de som,
um mural que fiz para o mundo.


Sintonia


Aquele som no fundo,
desses que leva longe.
Um equilíbrio que faz flutuar,
experimentar sensações.
Um transe que não tem mais fim,
metais, ilusões.
A sonância é incrível, por isso te vicia.
Uma harmonia capaz de fazer seu quarto ficar ainda maior.
Viajar sem mochila, nem roteiro, uma estrada para você seguir sem esforço.
São coisas que tem sentido, uma razão psicodélica fantástica.
Onde os mundos são infinitos,
coloridos.
Cheios de pequenos sinos que sinalizam sua genial imaginação.
As luzes lindas parecem velas.
E a estrada de gelatina não deixa barato,
fica no grande deserto, caminho para os canions do paraíso.
E a dimensão é linda,
nossa que maravilha,
algo conceitual...
de um tipo muito raro.
É difícil perceber o motivo,
e já é normal não explicar e apenas sentir o que acontece.
Os peixes voaram do aquário e estão por toda a parte, são coloridos e nadam pela casa.
Terei uma nova dinâmica com Marley,
esse peixe fenomenal,
exímio voador.
Amigo dos gatos,
comedor de moscas.
As pirâmides são legais,
o desenho é lindo,
ficou ótimo dentro da nova decoração.
Essa magia é primordial, vibrante como algo vibrante,
Que coisa...heim.
Mas o que significa isso tudo?
Isso precisa ter uma cara.
Um retrato ao menos,
alguma coisa deve identificar esse clímax.
Os figos estão frescos e maduros,
doces como esse som que leva.
Os moinhos giram com paciência.
Será que guardam alguma resposta legal?
E os mundos que agora se vê,
isso não é obra de um santo.
Aprenda a ler códigos,
quem sabe os caras inventem um código de barras para ler Pink Floyd.


Clorofila


As plantas...
Estão crescendo,
envolvendo todo o seu corpo.
Transformando sua pele em clorofila,
trazendo ar para você.
O som do seu violão vai cadenciando o ritmo de uma fotossíntese apurada.
E tudo ganha o verde,
e isso descansa os olhos.
Serio!
As abas dos bonés em sua maioria são dessa cor.
Descanse seus olhos!
As plantas estão crescendo.
Uma selva que mudou tudo que você via.
Sua sacada agora é um jardim suspenso.
Bem-vindo à Babilônia.
Saia de dentro do livro!
Afinal seu pai está chegando,
isso seria demais para a cabeça dele.
As plantas estão crescendo,
evolvendo seu corpo.
Saia de dentro do livro.
Isso é demais para a cabeça das pessoas.


Um grande show

Luzes...
Caladas e próximas,
investigam seus passos.
Sempre em busca de você.
Iluminadas pelas brechas da janela.
Acompanhando o só.
Para fazer da noite um tempo de energia.
Enquanto vem um breve túnel do abajur quebrado,
cheio de poeira e sugestões.
Um ambiente propício para um delírio incomum.
As garrafas dão a ilusão de um bar vazio.
É um espaço particular,
sem muitos movimentos.
As sombras continuam ali...
visíveis,
sem apontar outro alguém.
Almofadas que sentam no sofá e ocupam o espaço,
enfeitando as sombras,
compondo um lugar inimaginável.
Enquanto que os ruídos correm e vizinhos entram e saem de seus endereços.
Uma magia que afaga um tempo de espera pela aurora.
Enquanto o relógio faz intriga com o silêncio particular de um lugar perfeito.
Essas sombras que cruzam rente os livros,
encontram os discos...
Loucas até a colisão com o aparelho de som.
Insanos sonhos de um momento sem fim,
Luz medieval,
acostumada a trilhar por aqui.
Particular,
realmente incrível.
Enquanto as faixas correm alvejam as garrafas e no vôo encontram o chão.
E a iluminação ganha em magia.
Mudança o tempo todo, um ambiente particular,
um show.
As mordazes e violentas notas de compasso leve tocam a alma.
Mas tudo não passa de uma mística,
que você alucina o tempo todo.
Botões que não param de quebrar as sombras.
Um show particular incrível para um lugar incomum sem movimento.
Rodeado de lenços e bandeiras para o Progressive Rock And Roll.
Permitido aos grandes bruxos do inconfundível ser aboletado no sofá.
Uma estrutura digna para um tempo de muita energia,
onde não há bem para o sonho dos solos.
Uma orquestra afinada,
para vocais que arrepiam,
alucinam,
iluminam.
Um grande show particular para um lugar incomum sem movimento.
Sinta...

Final Cut – Roger Watters

Energia.
Essa sensação corre em minhas veias,
numa agilidade maior que a velocidade da luz.
Isso tira o sono dos meus neurônios,
tenciona meu corpo.
E tudo vai tomando um jeito de gritar e viver.
Pare de fazer o que não te diverte.
Olhe na sua volta,
perceba a disfunção dos vidros alterados.
Isso é alto e bom som...
força, atitude.
Isso é uma loucura...
Poesia e Rock And Roll,
transbordando conhaque barato.

Visite o site do autor:

http://www.pixlog.net/ default.php?u=cavanhasogarotoantigo
Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 31/03/2006
Reeditado em 31/03/2006
Código do texto: T131693
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edvaldo Rosa www.sacpaixao.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Edvaldo Rosa
São Paulo - São Paulo - Brasil, 55 anos
1727 textos (173713 leituras)
23 áudios (10645 audições)
35 e-livros (8978 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 20:18)
Edvaldo Rosa

Site do Escritor