Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM BEIJO DE VINTE ANOS

Vinte anos idos.
De todos, nada sei,
dos muitos, pouco sei;
amanhã, quem sabe, saberei
da recatada timidez
dessa criança envergonhada
pequena e descomposta em tão pouca nudez.
Que me salvem o berço
que me salvem as mantas
a camisa de pagão com a qual me batizei,
que me salvem as bênçãos
que salvaram meus pais
quando por mim rezavam sem separação

Vinte anos idos.
Esqueci falsos amores
mas não mentirei os calores
quando, ontem, um grande ardor
afogueou meu coração aos vinte
por mais que o amor cresça em idade
a falta do relógio configura o tempo da paixão.
Que me salvem em álbuns
que me salvem em espelhos
e o dedo oleado na deficiente identidade,
que me salvem os namorados
que salvaram meus bailes
quando comigo dançaram em desunião.

Vinte anos vividos.
Vinte e poucos, eu sei!,
o tempo, coitado, só saberá
se o atestado resolver revelar
que morri por inexperiência
ou por total insuficiência da idade,
comprometendo os batimentos do encontro.
Que me salvem as ânsias
que me salvem as fragrâncias
dos cheiros sem asco guardados pelo hálito,
que me salvem os respiros
que salvaram os beijos
aguardados aos vinte anos de idade.

Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 27/04/2005
Código do texto: T13251
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19522 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 23:43)
Djalma Filho