Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Silêncio

Por quantas vezes e muitas se faz
necessário e companheiro...
Tão presente na ausência do bom senso,
calando a voz no revide das mágoas e ofensas...

Quantas e muitas, se faz escudo, onde
impera almas e vozes exaltadas...

Se faz respeito...
Diante da dor e da espera,
Diante da surpresa e diante da morte...

Se faz humilde... na prece do pedido,
no pedido do perdão, e
no perdão concedido...

Silêncio que se faz amigo
Diante do desabafo...
E, que se faz sábio, diante da ignorância...

Silêncio... que se faz cúmplice
Dos amores proibidos,
Dos beijos roubados,
Dos abraços apertados...
Fazendo-se apenas platéia
ao som da "ÜLTIMA ROSA DE VERÃO"...
calado... porém consentindo...
ziza Silvestre
Enviado por ziza Silvestre em 03/04/2006
Reeditado em 11/06/2006
Código do texto: T133044

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ziza Silvestre
Ourinhos - São Paulo - Brasil, 53 anos
217 textos (14084 leituras)
1 e-livros (52 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 02:19)
ziza Silvestre