Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Os Teus Seios

Me fascinam os teus seios,
túrgidos, túmidos e cheios
de viço, sobranceiros,
sem recatos, inteiros ...

... altaneiros, de porte ereto,
pedem um pouco de afeto,
exalando perfume pelo veio
de pomos gêmeos, meio a meio.

Não mais feitos prisioneiros,
vão sorrindo zombeteiros -
são como aves tentando vôo -
desconcertado, me desarrazôo.

Coroados de rubor
vêem tudo ao derredor,
furando olhos insistentes
com os bicos contundentes.

Quando tu caminhas sensual,
balançam em movimento casual,
empinados, sem temor
de se revelarem em esplendor.

Obras-primas do Artista
não cansam a minha vista,
atiçam o meu espírito buliçoso,
desconheço algo mais formoso.

Tu mesma os admiras faceira
tocando-os como bordadeira,
a tecer caminhos sensuais
abertos a quem ouse mais.

Me recolho em constrita adoração,
segue apressado o meu coração,
ao ver-te em ímpar ritual
entregá-los ao banho matinal.

Então respiras ofegante -
eles se postam avante -
ansiosos por carícias,
irrecusáveis delícias.

A vida revela-se mais pungente,
emocionado, não sou mais indigente,
quando me ofereces generosa o peito
que orando, com as mãos estreito.

Brasília, 10 de outubro de 2004
Humberto DF
Enviado por Humberto DF em 27/04/2005
Reeditado em 23/01/2006
Código do texto: T13418
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Humberto DF
Brasília - Distrito Federal - Brasil
121 textos (23789 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:43)
Humberto DF