Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SAUDADES GERAIS

Lembro bem de minha infância
das férias em Minas Gerais
das modas de viola, rodeios
da fazenda, dos passeios
das águas minerais.

Em Minas se respira o ar puro
de suas matas verdejantes
entre vales e montanhas
que escondem caminhos, segredos,
do período colonial.

Minas do artesanato sagrado,
imagens transcendendo a história
das obras em pedra sabão.
De mãos que esculpiam mistério
do sacro à arte moderna
em ilusões valiosas.

Minas do arco-íris
presente em suas fontes
quando chega o anoitecer.
Seus coretos como palco,
nas praças arborizadas,
do amor no entardecer.

Minas com suas nascentes
de água límpida, saborosa
com seus rios, cachoeiras
grutas escondidas nas matas
obras primas naturais.

Os pássaros que cantam lá
são diferentes de tudo
seus gorjeios são mais limpos
claros com sustenidos
em trinados afinados.

Minas do céu estrelado
com a lua bem clara, brilhante
pirilampos lampejantes
grilos entoando cânticos
em sinfonia alternada.

Minas da tradição da fé
com romaria pra santos
arrebanhando o povão.
Muita quermesse na praça
baile na festa da igreja
com capelinha enfeitada.

Do folclore iluminado
Folia de Reis e Congado
das serestas mensageiras
de declarações do amor.
Da festa organizada
na casa grande e senzala
pra colheita do café.

Terra do gado, das frutas
dos doces fartos em compotas
do pão de queijo quentinho
da rapadura de cana
da cachaça amarelinha
que desce melhor que melaço.

Minas do leite fresco, do queijo,
fogão de lenha com brasa
da galinhada quentinha
com cheirinho bem de roça
daquele que entranha na pele
e não se esquece jamais.

Minas do povo guerreiro
que nunca tem medo de nada
que acorda no canto do galo
sorriso aberto nos lábios
já pensando em trabalhar.

Minas de gente renomada
de letrado a presidente
de escritores importantes
de poetas de tudo que é jeito
de músicos do clube da esquina
deleitando nossa gente.

Das Minas que é de Gerais
só sai trem bão pra danar
não só coisas saborosas
mas coisas que de importância
faz muita gente endoidar.

Minas que mora em meu sangue
mesmo eu sendo carioca
dos amigos mineiros chegados
da família por mim adotada.
Terra de paz, liberdade
de onde só sinto saudade.

Neli Neto
02.03.05
03:05hs-RJ

(readaptação de poema escrito em 1989
quando morava em Varginha-MG)
Neli Neto
Enviado por Neli Neto em 08/04/2006
Reeditado em 02/10/2006
Código do texto: T135657

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Neli Neto
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 64 anos
98 textos (45247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 16:26)
Neli Neto