Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Armarinho de Saudades

sou homem do tempo,
mas não tenho horas;
trabalho até com ferro
pois
sou homem do campo,
mas não tenho terras.

se de tudo vale
vale e avanço.

tenho sol
que não me
ilumina,
a lua que
me branda
com seu lado
mais escuro
que me fazo fango
dos sozinhos.

tenho mulher que
dengo não faz,
e amor só vejo
de novelas
onde o mocinho
- bem alentejos -
ganha beijos
armados
de sua rainha.

se tudo vale,
vale meu ranço.

se hoje sou assim
é porque já fui
pra algum lugar,
que nem sei
o nome.

mais nome de
rei, isso lá
não tem !

mas neste fugar,
sei de uma coisa,
vida,
minha vida, não é,
pois vivo
bem sozinho
e quase louco.
José Kappel
Enviado por José Kappel em 08/04/2006
Código do texto: T135717
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26781 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 20:39)
José Kappel