Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desgovernado

Entrego-me em suas mãos
como se eu fosse um pote de mel.
Sei que não gosta de doce,
mas dos meus lábios
não terá a amargura do fel.
Em meu peito aflito,
grito seu nome
como se pedisse socorro,
como se tivesse fome,
como se estivesse quase morto.
Você finge não ouvir,
tapa com os dedos os ouvidos
fecha os olhos e a boca,
sem nem um aviso.
Suas palavras - não ditas,
partem meus sonhos ao meio,
como se fossem um machado
arremessado ao velho lenho.
Nu, de mim mesmo,
volto para o meu eu
como quem perdeu
o caminho de volta pra casa.
Pedro Cardoso DF
Enviado por Pedro Cardoso DF em 10/04/2006
Reeditado em 16/05/2012
Código do texto: T136691
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pedro Cardoso DF
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 68 anos
4321 textos (94836 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:42)
Pedro Cardoso DF