Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O ENDEREÇO

Menina de rua ,é o nome que tens.
Sexo e drogas, são o teu ganha pão.
Vida bandida, como opção.
Fantasma humana, perambula em vão.
Nau sem rumo, porto solidão.
Sem lar, sem família,sem saude, como
prêmio.
Vivendo ao léu, sonha.
Vende seu corpo, para comprar enfeites.
Sarjeta contínua, a espera.
Esperança morta, não há futuro.
Gueto infinito, como castigo.
Afoga-te na bebida,que amenisa.
Uma fruta descartada, a caminho
do lixo, é o prato a espera.
Fome e miséria, é a tonica.
O sofrimento, reflexo condicionado.
Teu nome é Maria.
Maria Mãe.
Maria amante.
Maria das dores e outras tantas Marias.
Menina de rua, que se fez mulher,ainda
muito jovem.
Hoje tu és mãe que não tem futuro, nem
para ti, nem para teu inocente filho.
Mariposa perdida que queimou as asas
e nunca mais cresceu.
Como leito, o banco da praça.
O jornal esquecido, é o agasalho,
que serve de amparo do frio e sereno
da noite.
Um fogo aquesce o ambiente. O sol se
levanta no nascente, anunciando um
novo dia.
Dia de felicidade para muitos.
Só as meninas de rua têm mais um
dia de sofrimento.
Que dia é hoje? Não sei.
Os dias, as noites, as semanas,
os meses e os anos, não fazem
difenças- é apenas o tempo que passa.
A sociedade não nos vêem.
Fecham os olhos diante do nosso
sofrimento.
Hoje é domingo. Muitos vão as igrejas.
Todos são cristãos, por conveniêcia.
Mas as suas ações,com relação ao
sofrimento humano, é que é a indiferença.
Enquanto Cristo fez seu coração sangrar
por amor à humanidade e morreu por esta,
a maiória dos seus seguidores, tem um
coração de pedra.

Londrina,31/05/2003.

Raimundo Otoni Caldas.


Raimundo Otoni
Enviado por Raimundo Otoni em 11/04/2006
Reeditado em 11/04/2006
Código do texto: T137413
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Raimundo Otoni
Londrina - Paraná - Brasil, 86 anos
39 textos (3459 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 02:30)