Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cateter

Catéter ou cateter,
dizem filólogos tais,
não se compara a mulher,
não é coisa que me apraz.

A dor que a mulher me faz
com nada mais se compara.
Mulher pra mim é demais,
o cateter? uma vara

que se introduz como quer
na veia, até o coração
é indolor. Mas mulher
não fica só nessa, não.

Mulher faz doer baixinho,
faz - sem dor - homem gemer,
e devagar, de mansinho,
faz o que quer, faz valer.

As curvas que a mulher tem
são profundas, sinuosas,
mas me fazem muito bem,
pois são pra lá de formosas.

Aquelas do cateter
são diferentes, sutis,
porém essas da mulher
eu prefiro, pois as quis.

Comentário em forma de poema feito em 04/04/2006 23:01  para "CATETER, DOR, MULHER E HOMEM - brincadeira com Candelária e Osmar" - Lílian Maial

Paulo Camelo
Enviado por Paulo Camelo em 12/04/2006
Código do texto: T138074
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulo Camelo - www.camelo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Paulo Camelo
Recife - Pernambuco - Brasil, 68 anos
909 textos (260163 leituras)
36 áudios (10732 audições)
6 e-livros (1672 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:32)
Paulo Camelo

Site do Escritor