Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BOM-DIA, DIA

mostra-me a cara;
bom-dia, dia,
mesmo de sol fantasiado,
me mostra a cara
do primeiro amor enganado,
da primeira mulher sem jeito de sofrer...

mostra-me a cara;
bom-dia, dia,
mesmo esbarrado na pressa,
me mostra a cara
do primeiro mendigo de rua aflito,
da primeira poesia feita sem entardecer...

mostra-me a cara;
bom-dia, dia,
mesmo avoado, qual passarinho,
me mostra a cara
daquela que voou para o sentimento,
daquela que, a qualquer momento, morará...

mostra-me a cara
antes do bom-dia, tarde,
apesar das madrugadas trazidas para ti:
bom-dia, dia,
mostra-me a cara
mesmo que a chuva contigo acabe
e leve, na enxurrada,
a infância do poeta que bóia
enquanto o dia parecia interminável.
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 13/04/2006
Código do texto: T138736
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19521 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:51)
Djalma Filho