Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Improviso

na ausencia de tempo pra disferir palavras poeticas
busquei no improviso mostrar minha arte explorando a fonetica
de palavras ve um vocabulo extenso
fazendo a arte estou propenso
a sentir-me mais um poeta tenso
que na ausencia de bom senso
acaba deixando que o sentimento o leve ao tropeço

mas faço a arte na hora para aqules qua alem da cultura
de estar lendo apreciam o raciocinio rapido da rima de rua
mais puxado pra um free marecendo hoje o ataque poetico
mas como bons mcs tambem ao papel apresento material frenetico
movido pela alma a sentimento força e labor
valoraizando sempre os que comigo derramam suor

pregando um sonho que de becos sujos um dia brotaram
e sem apoio nenhum sem dinheiro hj se concretizaram

provando na pratica mesmo sem nunca ter a intençao de provar nada
que o sonho sempre sera possivel por aquele que por nada se abala
a por nada para
em um canto da sala
sem pala
ou marra
onde por muitos fora criticado e de ombros passava
sem a intençao de lhe acrescentar nada somente a idea de estragar a jornada

que por mais mesquinho que pareça infelizmente hj é normal
infelizmente esconder obras ricar pra não ser plagiado e sofrer dano moral

sacrificar a aprovação materna pelo amor de vontade propria
ser considerado um egoista por querer fazer sua historia

desacreditado de toda familia sem esperança de que teria um futuro
levando a vida como um eterno muleque embora crescido e maduro

tendo uma voz ativa invejada por todos no seu dom de administar
administraçoes essas que seu pai nunca ve aonda vai chegar
nem no que vai dar
sua intençao era exalar
toda sua ira em forma de violencia
mas no regresso de memoria lembra daquela carencia
de nao ter um pai presente e viver na inexistencia
de nao saber o gosto do amor e por isso viver na demencia
de pensamentos virados ou perder seu idolo para a doença
e entender só no fim do caminho q era melhor viver sem desavenças
mas propenças a isso se fez sempre a vida de uma familia
que vive em querra em conflitos tolos visando a hierarquia
de macacos inertes que seguem cegos regras e impoem a mim
noa sabem por que as fazem e dizem "por aqui sempre foi assim"

e conformado em ser bom ator somente pra si mesmo
pois qndo disferia milhoes de palavras a esmo

tinha grande conteudo e escrevia maravilhas com senso
mas ngm chegava ao fim pois falava q era muito extenso

e tendo assim suas obras desvalorizadas
passou a escrever em lugares q nao sariam encontradas

e só lidas por aqules que realmente se interessasse
sem divulgar os links pra receber mais ou menos destaque
o baque
de um poeta que nao usa fraque
tao pouco faz jus ao pensamento q quem veio da rua ja uso crack

mas uso a mente
pra fazer uma obra de um modo descente
provando pra mim q me divirto somente
comigo mesmo lembrando que a mente
segue descontente
quando apontam pra gente
e nos julgam demente
por fazer algo diferente
como andar cantando com um fone derrepente
na carencia de ouvir algo inteligente
que te faça pensar um pouco mais pra frente
e ver que nem sempre
se vivera contente,
um subalterno aprende
mas quem de crescimento tem sede
sempre segue em frente
subindo paredes
nao tendo enfeites
pra falar o que pensa e despejando deleites
de quem um vocabulario rebuscado nao compreende
mas a alma daquele que anseia ascende
pois a muito disseras q ninguem o compreende
e eis que surge um que realmente entende
o prazer de escrever por escrever e descansar sua mente
onde andando somente
no oposto da visão do descrente
que acha quem em si não há alegria o suficiente

quem a sede do conhecimento alimenta a alma
busca incessavelmente sem perder a calma

ulguem que em vida se mostre parecido contigo
buscando isso nas linhas daqueles com versos comprometidos

tendo a destreza de ler paciente
cada linha atentamente
aproveitando o conteudo nele referente

sem pretenções
sem por tensões
um estado ubtuso de quem explora o significado de impartensões

apaixonado-me somento por algo que não existe
buscando errante na busca dauquele que nunca desiste

mas as vezes se cansa mediante ao cliche de cada leitura
de pessoas que copiam esiluos acabam se perdendo sem ter a postura

de saber impor suas ideas de uma forma personificada
ainda que por muitos sabios seja julgada de obra mã qualificada

tendo em mente escritores habeis e renomados
sou um eterno louco enviado por Deus pra confundir os sábios

e provando apenas a mim mesmo que a felicidade não se encontra em amores
uma vez que tendo amigos sou capaz de suprir minhas mais intensas dores

sem mandar flores
poemas com cores
pra forjar uma amor passageiro de carencias e horrores

prefiro apaixonar-me pelos meus ideais
ideaias até aqui os quais
me tiraram de meios julgados banais
e a realização do meu ego me tráz
uma força voraz capaz
de sorrir sem olhar pra trás

pois entou dentro do que um dia foi um sonho e hoje se tornou a minha vida do modo honroso
suprimi minhas incertezas e me atirei de cabeça num ataque pretencioso

hoje amigos ao lado consegui o objetivo maior do meu caminho
e não me envergonho nem me arrependo em falar que jamais teria nada sozinho

pelo contrario, com o orgulho de um vencedor encho o peito pra gritar pelos quatro cantos
que após lutas lagrimas e suor hoje alcançamos aos prantos

a sagassidade inata de quem sente o peso da coroa
e pode se dizer DIPLOMATA sabendo que tudo se perdoa

nas falhas ou erros que por muito penamos
porem evoluimos nos desenvolvemos e assim preparamos

pra tudo aquilo que poderia dar errado nessa jornada
encerrando por aqui pois infinitamente criativo as idea nunca acaba

e antes que me torne repetitivo um ponto final a obra improvisada escrita talvez como Mc
de quem nao tem tempo pra si e por amor verdadeiro a um ideal chegou ate aqui
rOg Oldim
Enviado por rOg Oldim em 21/04/2006
Código do texto: T142784
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
rOg Oldim
São Paulo - São Paulo - Brasil, 29 anos
185 textos (6584 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:24)
rOg Oldim