Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Louco

Louco

Paulo Camelo

- Cajueiro, tu tens olhos?
Podes dizer o que viste?
- Vi um casal se amar
e na sombra dos meus galhos
desse mundo se isolar.

- E tu, coqueiro, escutas?
Diz-me, então, o que ouviste.
- Daqui nada pude ouvir;
eu não sei de que tu falas
pois nada pude escutar.

- E tu, aqui nos meus pés,
o que sentiste, capim?
- Algo nunca imaginado:
um casal aqui deitou
e eu não fui nem tocado.

- Aqui choveu nesse dia;
a chuva nada notou?
- Eu caí sobre o coqueiro,
eu molhei o cajueiro,
sobre o capim me deitei
mas o casal não molhei,
eu não o vi, não, senhor.

- Mas o vento está lembrado
do casal aqui deitado?
- Eu balancei o coqueiro,
agitei o cajueiro,
o pó do capim varri
mas no casal não toquei,
esse casal eu não vi.

- Mas então esse casal
só o cajueiro viu?
O coqueiro não ouviu,
o capim não o sentiu,
a chuva não o molhou
nem mesmo o vento o tocou?

Será que houve o casal,
ou só houve o pensamento,
a intenção do momento
que, não sei como diabos,
o cajueiro notou?

Será que foi ilusão
também do capim no chão?
É um mistério esquisito,
não sei em quem acredito,
não sei a quem perguntar.

Ou será que nisso tudo
quem está louco sou eu?
Paulo Camelo
Enviado por Paulo Camelo em 02/05/2005
Código do texto: T14397
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulo Camelo - www.camelo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Paulo Camelo
Recife - Pernambuco - Brasil, 68 anos
909 textos (260182 leituras)
36 áudios (10732 audições)
6 e-livros (1679 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:36)
Paulo Camelo

Site do Escritor