Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMANTES

 - declaração de amor ao amor deitado -
                                                 
Horizontalmente,
dois corpos estendidos para o distante
entregam-se na morte aparente
da paz achada a dois.
Verticalmente exato,
um macho mergulhou no arco do arco-íris
deitou-se no espreguiçar das pernas
das cores enamoradas.

Necessário será pedir muito sangue-frio
aos amantes de hoje, se ontem, amigos de pactos
contiveram a hemorragia da paixão antes do amor jorrar?

Ontem, quando amigos,
eu, o homem, em calma cumplicidade horizontal,
pedi licença ao gostar para ficarmos sempre juntos.
Ontem, quando enamorados,
eu, o homem, em quieta cumplicidade horizontal,
pedi perdão ao bem-querer por nos querer tão juntos.
Ontem, quando quase amantes,
eu, o homem, em eterna cumplicidade horizontal,
pedi devassa aos segredos de acasalarmos juntos.

Hoje, agora e apaixonado,
o casal de sempre, em plena cumplicidade horizontal,
pede licença ao sono e aos amantes
para que o olhar do corpo durma junto.

Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 03/05/2005
Código do texto: T14448
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19517 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 00:00)
Djalma Filho