Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ontem e Hoje

Canso de esperas,
um censo particular
de solidão;
canso de abrir porteiras,
de fazer do mesmo dia,
o mesmo dia.

Canso de esperas,
canso do caos,
da faina, do início
e do fim.

Empertigado de comedidas
esperanças, todos os dias,
ao bater do primeiro sol,
espero,
espero...o que vêm do além,
do que nada chega e nada vêm!
E me aprontam ventos arredios!

Sou um cone frustado!
Um pararelo de três pontas,
mãos vazias e atadas.

E nada mais muda,
os castelos já não
são tão puros;
ontem, eram os amantes que
bocejavam em camas de
de crina;

E se abatem os coxins!

Hoje, os sonhos
morreram pelos quartos,
e todas as rainhas
se foram
se guardar
nos espelhos do céu.

Hoje se torna ontem,
ontem vira amanhã,
e os dias se confudem
em idas e voltas.

Tudo à procura daquela
flor
que deixei viva
no pórtico mais alto
da torre,
que de hoje só resta
uma névoa bruma a
revestí-la, de quebras,
de ânsias
e saudades.

Ah! castelos, como
antigamente,
não
fazem mais !
Rainhas iguais às de ontem
já estão morrendo lentamente !
José Kappel
Enviado por José Kappel em 25/04/2006
Código do texto: T144856
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26780 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:20)
José Kappel