Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pensamentos gozados,...

Pensamentos gozados,
Pensar estranho de parte alguma
Um dia qualquer, qualquer mesmo
Uma casa perto de muita areia
Quente, quente, muito quente
No horizonte nada à vista
Areia e mais areia, calor
Você suando e reclamando
O cair da noite ainda demora
Você reclama do calor
Cai a noite, frio a beça
Muito frio, tudo gelado,
Frio demais lá fora
Tanto quanto aqui dentro
Eu reclamo, você também
Mal podemos nos mexer
Até o amanhecer
Outra onda insuportável de calor
Calor de mais, de mais
Horizonte seco e nebuloso
Até o cair da noite
Com parcos gravetos de uma lareira
Fogo baixo, frio demais
Cortando a respiração
Até o amanhecer com todo o seu calor
Sufocando mesmo no abrigo
E a idéia nem foi minha
O sonho persistia
Precisamos de alguma calmaria
Ela pedindo uma chuva de dia
Choveu a cântaros o resto do dia
Ameno o calor, outra noite fria
Isso nunca vai passar, pensei
Pensando no sonho
Longe de tudo, isolados
Frio e calor testando nosso humor
Sem poder sair dali
Presos no sonho uma semana
Presos em nossas indiferenças
Aliando nossos desesperos
Apenas água, biscoitos e vinhos
Nem sei quando acordei
Mesmo com tudo molhado...

Seguir em frente...
Mesmo que venham remando contra.

Peixão89
Peixão
Enviado por Peixão em 03/05/2005
Código do texto: T14518
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120253 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:33)
Peixão