Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amotinado

Minha alma foi lapidada em uma peça de aço
E com muito carinho e um forte e ledo abraço
Fui colocado neste mundo apodrecido e hostil
Como sendo um cidadão honrado, justo, viril.

Os primeiros passos me foram já, ensinados,
Por mãos justas, com os mais puros cuidados
Para que eu não errasse ou desse no que pensar.
Assim e por isso, não posso, não devo lamentar.

Às vezes choro, choro, você nem acredita,
São pingos de fogo, lágrimas nuas - malditas.
Horas tenho passado, quase que descuidado,
Esperando por você já desolado, amotinado.

Você já não vem, não me dá calor, nem colo.
Fico triste, desnorteado, solitário me consolo.
Não sou as flores nem o fruto ácido do cesto,
Devo ser mesmo a besta solta e sem cabresto.
Pedro Cardoso DF
Enviado por Pedro Cardoso DF em 26/04/2006
Código do texto: T145464
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pedro Cardoso DF
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 68 anos
4322 textos (94862 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 08:41)
Pedro Cardoso DF