Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cocada da Vez

Um dia, eu tive tudo o que queria:
tinha dois brinquedos,
uma harpa,
uma caixa de gude -
o que mais preferia!
Tinha uma ama que só
de namorar o padeiro,
comia pão o dia inteiro,
tinha um instrutor da vida
que só me ensinava
o que ela não tinha.
Tinha também um bando
de mocinhos de chumbo,
um anel de avô
e um cordão da tia-avó.
Tinha tudo o que queria.
E eu pensei, então, com o
passar dos anos,
que bastava ter tudo que
você tinha o mundo.
Fracasso errado,
igual quando a bola bate na trave!
No mundo a gente tem o que
não quer
e não tem tudo aquilo
que quer.
É uma bola furada
de dois lados:
no furada fico eu,
do outro toda gente
do mundo.
Um mundo persa sem tendas!
E, assim, temeroso,
feito alma perdida,
e honrando o oneroso,
que rondam nossas vidas,
aprendi que o mais importante
era ter um pouquinho de cada
coisa e não
ter nada desse pouquinho!
E assim, já humilde,
e sem meus brinquedos de
papelaria,
saio agora pelas avenidas
entre a 345 e 400,
onde lá vivem os que tem -
e vendo minhas cocadas
e algodão-doce, pois
de tudo perdi
até a a sensação de
embriaguês de
que morto estou,
continua neste
indecoroso homem velho!
Ou já morri e não sei?

*

Quando o sol começa
a funcionar,
ou quando a lua
desperta para a jornada,
entro eu pela janela
da vida
e procuro nela
algum sentido.
Dizem que há várias.
Eu só encontro uma:
aquela de me calar
e somente ouvir.
Assim, ouço todos,
até mesmo os mendigos que
chega à minha porta de
alma para pedir a beber.
E não há muita saída
nestas entradas da vida.
Ou você percorre
sentindo o cheiro
do mundo
ou você é sugado para
dentro de si mesmo.
Não adianta nem rezar.
Por isso, adiantei-me
ao meu destino e tracei
outro.
De agora em diante
Não me chamo mais João
Sou Manuel,
sem meixas ou desleixos.
Sou Manuel e pronto.
Porque é muito duro ser
João neste mundo de cão,
onde se você sentar
no lugar errado e der
bobeira,
te apedrejam,
como o mais rude cristão.
Sendo Manoel é outra coisa:
a gente só apanha de
montão !
José Kappel
Enviado por José Kappel em 26/04/2006
Código do texto: T145494
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26784 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 14:22)
José Kappel