Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DESERTO INCONSTANTE

Será que devo acreditar em ti ?
Já te proibi inúmeras vezes
de falar que me ama.
Diga, por exemplo
que me queres na cama.
Seria bem mais honesto
não causaria ilusão, querida.
e, quando um dos dois partisse
não abriria a ferida
o adeus, seria só mais um gesto.

Meu coração é um bunker
cercado
de arame farpado
e, mesmo assim tu insistes.
jurando que ainda me quer.
Resisto às tuas investidas
e continuo a ser um Saara,
árido – sem arbustos de paixão
somente répteis  rasteiros de tesão.
Mesmo assim, desejas ser meu oásis.

Querida,
sou caso perdido.
Ame a tua vida
viaje em outro navio,
procures um outro desvio.
Sou pôquer sem apostas
– nada a ganhar !
Sou deserto inconstante
- dunas traiçoeiras
 movendo-se a todo instante.



Dionisio Teles
Enviado por Dionisio Teles em 27/04/2006
Reeditado em 27/04/2006
Código do texto: T146194

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dionisio Teles). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Dionisio Teles
Barueri - São Paulo - Brasil, 64 anos
177 textos (43603 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:44)
Dionisio Teles