Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Infância ao Luar

Eu deitava na grama, a cabeça na pedra
Abria-me ao vento e ao mundo
Zonzo de alegria; e a mão da lua cheia
Vinha acariciar-me com seu brilho profundo

Difusos enlevos tinha; amava os anjos em felicidade
E a uma sinceridade qualquer sôfrego e resoluto
Enquanto lá bem distante as luzes da cidade
Era também o brilho que me tornava absoluto.

E dormia destarte, imaginando, vendo e sentindo
Pulos de lagartixas, gritos arrastados, vozes felizes
E o luar vulvário inflamado a paz pedindo

Celestial, e o balançar das arvores contínuo
Do ensejo, até que algum entre os mais meninos
Capenga, viesse me encontrar pelo caminho
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 28/04/2006
Código do texto: T146710
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
R J Cardoso
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
3128 textos (79556 leituras)
2 e-livros (393 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 06:36)
R J Cardoso