Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Rua Rio de Janeiro à Tarde

"Pela rua que tem o tom
verde eu ando,
verde eu quero,
verde eu amo.
Eu ando e olho,
sinto o cheiro,
e atiro à esmo
mesmo
quando as luminárias
espantem o clarão da noite
e transformam o escuro
em morte
no cemitério perto de minha casa.
Em meus olhos faço verde,
blue azul cor de piscina,
e vermelho vivo,
sangue vertido do coração de quem ama.
Bebo, choro,
canto e brinco;
mundo, desnudo,
acabo mudo;
o fim da rua não é o fim
do mundo
se ainda vejo de um tudo
e nada me comove mais
que seu olhar.
Afinal,
estou cansado de brincar
de sol e chuva com você."

Que essa seja minha singela homenagem à cidade de Londrina, que me acolheu há tão pouco tempo e que eu gosto tanto de viver!
Diego Filipe Araujo Alcântara
Enviado por Diego Filipe Araujo Alcântara em 30/04/2006
Código do texto: T147702
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Diego Filipe Araujo Alcântara
Camanducaia - Minas Gerais - Brasil, 31 anos
152 textos (7338 leituras)
7 áudios (2204 audições)
1 e-livros (167 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:45)
Diego Filipe Araujo Alcântara