Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
(Tentaram, em vão, saber quem eras)


       O TEU NOME


O teu nome ninguém jamais cantou.
Som agreste, de cardos eriçado,
a sangrar de papoilas, retalhado
por lâminas de sol, teu nome eu vou

pendurar num poema, lado a lado
com nomes de poetas e de heróis,
e adorná-lo de estrelas. Vou depois,
sentado na memória do passado,

ouvir o vento entoá-lo pelas quelhas,
soletrá-lo na cal das casas velhas,
gemê-lo entre os caniços ressequidos.

Teu nome, meu amor, alor selvagem,
grito de silvas que me vem na aragem,
guardo-o baixinho dentro dos ouvidos.





                                              (Prisão de Caxias, 17 de Outubro de 1972)

CARLOS DOMINGOS
Enviado por CARLOS DOMINGOS em 04/05/2006
Reeditado em 09/11/2008
Código do texto: T150403
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
CARLOS DOMINGOS
Portugal
80 textos (21284 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 04:02)
CARLOS DOMINGOS