Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

um poema em Maio





um poema em Maio

a noite quente de Maio
tem gente,
que nasceu das papoilas,
dos malmequeres, dos poentes.

Toda a gente tem camisa aberta, t shirt,
sorriso, ritmo, luz, uma brisa que sopra lentamente.

as palavras circulam, derretidas, na roupa, na mão contra a mão,
no afago do passo no passeio.

a lua espraia indolente a luz macia na festa na varanda dos vizinhos
defronte, até às tantas.

Há choupos, urzes, fetos e carvalhos no jardim lúdico da minha mente.
ribeiros, charcos, grilos e lençois brancos da minha memória na piscina.


Tudo diferente do jornal malicioso das notícias, dos concursos electrónicos de televisão, das bielas giratórias dos automóveis, dos irritantes casamentos milionários monárquicos, da estupidez, do hediondo, do rídiculo.

uma ideia na ponta do cigarro, uma letra no dedo mindinho, um trevo no desejo,
...um sono profundo...



um poema em Maio

Constantino Mendes Alves
Enviado por Constantino Mendes Alves em 06/05/2006
Código do texto: T151351
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Constantino Mendes Alves
Portugal
324 textos (3787 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 09:59)
Constantino Mendes Alves