Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Parte da Metade

Já sou parte da metade,
que suspira a seda
e sufraga a verdade
dos vagos, como
um elo quebrado
entre várias vidas.

Não há direção,
nem apoio de setas
avulsas, que digam:
prá lá ou prá cá.

Pro lado errado
já é caminho de todos.
Dormitório dos Zeus e Acácios!

Sobram, pelo caminho, mechas
douradas,
folhas de soltar,
que carregavam as árvores,
sementes tão jovens
que mal podem ainda criar.

Se caio nesta estrada sem fim
fico sombrero dela;
envolto em sua paisagem,
que me leva aos mais
puros dos abismos,
onde a corda e o
vento se misturam.

Digo adeus,
de um modo valente,
pois só deixo visionários
para trás.

Meus amigos,
parentes,
pais e avós
já se foram
prá terra do
benze lá!

Minha família é de uma só dor
e lampejos a comprar:
foram embora vendendo
a morte!

Levaram sem me pedir,
levaram todos, e me calaram.

Digo adeus,
e sigo em frente,
pois sei que me aguarda
o mais profundo abismo azul,
onde poderei nadar
na fátula do ar,
na escuridao dos idos,
como pêndulo inflamado,
como flâmula inglória:
lugar onde poucos rezam
e todos pedem a vida de volta!
José Kappel
Enviado por José Kappel em 08/05/2006
Código do texto: T152271
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26783 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:29)
José Kappel