Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

(imagem: ...just can't take it, Ricardo Costa)

VERSOS A BISTURI

Escrevo versos como quem ri,
faço prosa como quem chora.
Saem daqui, daquele ponto ali,
do ontem, do amanhã, do agora.
Do nada brota uma rima
que não estava nos planos.
Essa última, quem sabe, é prima
da lima que rala-me os anos.
Escrevo versos como quem ri
mas quem poeta é a vida.
Louca, imprevisível, atrevida,
segue sangrando feridas.
Meus versos lavra a bisturi,
cortando-me a carne, a mordidas.
Cadê o fio da sutura?
Nunca entendi de costura.
Meu verso às vezes ri
da minha alma que chora.


Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 08/05/2006
Código do texto: T152435

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154020 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 06:41)
Débora Denadai