Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0278 - Jamais diga ''Te amo''


 
Meu amor já não tem nome,
deu um apelido e se foi,
estou inquieto,
a ternura está vazia,
não era pouca,
mesmo nas noites sozinho
ou caminhando pelas ruas,
não pode lembrar, já havia partido.
 
Não quero ser um pedinte amante,
nem se iluda com sonhos,
nunca mais falarei de amor,
não dos meus sentimentos,
voltarei às ironias,
direi juras, farei promessas...
Se quiser, venha! Já não importa.
 
Precisava ser feliz agora,
não sei implorar,
pensei que a paixão era forte,
descuidei-me, declarei o querer,
deveria esperar um pouco
ou até nunca confessar,
o que me deu...
sou apenas mais um homem.
 
Jurei jamais falar de amor,
não com a mulher que amo,
talvez elas não entendam,
depois da conquista vem a fuga,
a amante precisa de desafios,
outra vez parece irônico,
para ficar com uma mesma mulher
jamais diga ''te amo''.
 
15/05/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 06/05/2005
Código do texto: T15256
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116248 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 14:23)
Caio Lucas