Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

quebradas as asas


míseros instantes
os poemas não ligam mais pontes
as letras não unem palavras
o tédio domina a mão da alma
não escreve mais histórias
não ressuscita sonhos

quebradas as asas
abraço o sarcasmo e a ironia
desta massa falida do tempo
o de ontem não sobrou um poema
tudo se misturou
virou agonia

neste intervalo bastardo
apesar do que vivi
do pouco que aprendi
paro para pensar
quem sabe para tentar existir

não sou mais usina
nem vulcão em erupção
meu tear não tece mais emoções
os fios perderam a sensibilidade
e a poesia ,a respiração

hoje sou terra árida
onde planto blocos de concreto
sem qualquer encantamento
sem saber se este é meu mundo
nesta rotina falida
que não acerta minha rota
não faz um dia inteiro
nem mais 1 dia.

10/05/06
Maria Thereza Neves
Enviado por Maria Thereza Neves em 10/05/2006
Reeditado em 10/05/2006
Código do texto: T153594
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Thereza Neves
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil
3341 textos (90992 leituras)
6 e-livros (224 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:36)
Maria Thereza Neves