Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PROFISSÃO DE FÉ

PROFISSÃO DE FÉ

Salve loucura, bêbada sublime!
Quando tu, com tremendo pontapé,
abres a porta e vens dançar na rua;
quando esvazias, numa noite, a bolsa
e fazes mil caretas à prudência;
quando vais, por caminhos sem destino,
brincando de malandro e vagabundo;
quando navegas entre a tempestade
e partes, de propósito, o teu leme...

Então eu te acompanho, camarada!
Contigo parto, sem olhar p’ra traz!
Contigo fico louco e me embriago
e dou toda minh’alma a Satanaz!...

Perdi meus dias e as noites perdi
junto dr bons e honestos cidadãos...
Mil pensamentos, negros como a noite,
Embranqueceram-me os cabelos negros...
Mais de mil noites, que passei em claro,
enegreceram-me o clarão do olhar!...

Muitos anos vivi, para aprender
a ser bom, a ser puro, a ser honesto...

Quero, agora, esmagá-los com volúpi!
Quero dançar, sobre eles, com delírio!
Quero lançá-los fora, aos quatro ventos!

Por que sei que a maior sabedoria.
sabedoria corajosa, audaz,
consiste em ser-se louco, embriagar-se
e oferecer su’alma a Satanaz!...

desdvaneçam-se, em mim, eternamente.
Os mil escrúpulos enganadores!...
Quero o poder de desencaminhar-me
desesperada e ardorosamente!...

Quero que venha e do porto me arraste
um transporte selvagem de vertigem!...

De gente honrada, o mundo está repleto!...
De bons trabalhadores hábeis, úteis!...

Eu sejam, se quiserem úteis, hábeis!...
Eu prefiro ser fútil, ser demente!...

Por que sei que, no fim de toda a luta,
no pesar das aações boas ou más,
estará toda a glória em ser-se louco,
embriagar-se e dar-se a Satanaz!...

Por isso eu juro, aqui, solenemente,
renunciar, agora e para sempre,
à decência ou qualquer dignidade...

Renuncio ao orgulho de saber!...
E renuncio ao meu discernimento
de tudo o que for belo ou verdadeiro...

Romperei o envoltório da lembrança,
espalhando, no vento, gota a gota,
minhas lágrimas, tristes desenganos...

Vou mergulhar na espuma estimulante
do rubro sangue das maduras uyas...
E iluminar, com ela, o ,eu sorriso!...

Reduzirei a trapos, a molambos,
tudo o que houver de sério ou de honradez...

Farei voto sagrado em ser indigno!...
Verá o mundo do que sou capaz!...
Serei louco, cruel e, sempre bêbado,
entregarei minh’alma a Satanaz!!!...


Julio Sayão
Enviado por Julio Sayão em 11/05/2006
Código do texto: T154200
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Julio Sayão
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 93 anos
65 textos (39436 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 06:26)
Julio Sayão