Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Segredos No Tempo

Que menina não confiou
Seus segredos de infância
A ouvidos emprestados,
em carteiras encostadas e,
em almofadas divididas?

Qual jovem não guardou
Outras tantas confissões
Jurando que nem a eternidade
Deles teriam conhecimento?

Que mulher não é relicário,
De seus próprios segredos?

Aqueles revelados aos pés do ouvido,
Em meio a risos e espanto.
Com ar de graça e medo
Perderam-se no tempo,
Assentados ficaram nos bancos de escolas e,
Acomodaram-se em meio às espumas e algodões
Das almofadas repartidas em tardes de fim de semana...

Foram relíquias da infância e juventude,
Porém, se hoje ao vento fossem levados
A todos os cantos do mundo,
Com certeza, teriam risos diferentes,
Cheios de graça pela inocência contida...

Aos guardados maduros de hoje,
Não cabe ao vento compartilhar,
Contudo, no tempo se encosta,
E a esses ouvidos que passam
Sussurram os segredos de agora...

Desse tempo impera a certeza
Ainda que ele se vá...
Guardará consigo tuas relíquias...
ziza Silvestre
Enviado por ziza Silvestre em 16/05/2006
Reeditado em 15/06/2006
Código do texto: T157468

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ziza Silvestre
Ourinhos - São Paulo - Brasil, 53 anos
217 textos (14094 leituras)
1 e-livros (52 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:12)
ziza Silvestre