Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ápices & Inomináveis!

Bandeira baixa, movimentos mais tranqüilos,
Alguns olhares procuram outras distrações
Canecas vazias espalhadas pela rústica madeira
Na mesa apenas sobras daquilo que foi um jantar
Lua intrigada com os meneios da cabeça
Passos pesados arrastam o corpo para fora
Os sons da taverna mais distantes agora
Alguns risos soltos pelas vielas, outros chamarizes,
Esquinas depois, no alto da sacada uma luz,
Sombreia o quarto acortinado, que a hora espera...
Na escada lateral, a porta já destrancada,
Aquele corpo desliza acertando os próximos momentos,
Porta adentro, o roto pirata quer um banho,
Larga pelo chão tudo o que veste, ah! Que boa água...
Aromas mais suaves entre a espuma & os sais,
Uma garrafa sorvida em ótima temperatura,
Mãos deslizando lavam sua alma mais imunda,
Relaxante, doces & uvas se misturam ao tabaco,
Que ao sabor achocolatado, permeia o recinto,
Água limpa para refrescar toda a carcaça,
Um sorriso endiabrado cobrindo as faces,
Lavado, refeito & um grande teso,
Toda uma noite para por em dia...
Toca seu corpo cálido e seminua com calma,
Tira os primeiros gozos com tantas carícias
Antes mesmo de tomar toda a alcova preparada
Ainda recuperando o fôlego, você pede mais,
Alguns passos até o quarto, uma parada...
E você sente a força das primeiras estocadas
Um novo gozo não demora a surgir, risos...
A brisa enfuna as cortinas, a Lua está tímida,
Um sorriso maroto espera & pede mais beijos,
Os seios rijos deliram com minha voraz boca,
Sua boca vasculha com volúpia o meu teso,
Enquanto descubro novas formas de gozo em suas entranhas,
Minha língua fustiga seu enfeitiçado ventre
Meus dedos percorrem todas suas frestas
Um gozo múltiplo explode em seu corpo
Que arrebata todas suas forças, risos...
Você se contorce com frêmitos seguidos
E busca fundo um novo fôlego,
Viro-te de lado, e te cubro pelas ancas,
Devagar até que os corpos, em novo gozo,
Soltam-se extenuados, lado a lado,
Mais uma badalada algumas esquinas abaixo,
A brisa ainda irá balançar as cortinas
Por muito tempo, antes que o dia comece...
E o velho pirata retorne para sua nau escura...

Peixão89
Peixão
Enviado por Peixão em 18/05/2006
Código do texto: T158213
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120251 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 12:24)
Peixão