Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DUALIDADES DA EXISTÊNCIA



Ainda que o sol queime o meu rosto,
Viverei olhando o céu com muito gosto,
Por trás dos horizontes nascerá um posto,
Que sempre irá brilhar - sempre no meu rosto.

Toda a manhã surgirá um novo encosto,
Levando dentro de mim um bom mosto,
Não será jamais naquele mês de agosto,
Para não atrair na aurora um novo encosto.

Por ser um mês de muito desgosto,
É preferível não ter nenhum acosto,
Fazendo do sentimento um oposto,
No oitavo mês de muito desgosto.

Com o clarão do dia ficará exposto,
O meu pensar mergulhará no oposto,
E não será nenhum contraposto,
Amanhecendo o sol ficará exposto.

Quero falar o que desejo sem interposto,
Talvez, mudando o tempo sem transposto,
Assim será o novo e belo dia sobreposto,
Florindo a nossa natureza sem interposto.

Assim, pagar-lhe-ei o devido imposto,
Com este pequeno poema superposto,
Viverei olhando o céu com muito gosto,
Sempre irá brilhar - sempre no meu rosto.







ERASMO SHALLKYTTON
Enviado por ERASMO SHALLKYTTON em 18/05/2006
Reeditado em 06/10/2011
Código do texto: T158531
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ERASMO SHALLKYTTON
Caxias - Maranhão - Brasil
4168 textos (2055666 leituras)
1 áudios (971 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 18:25)
ERASMO SHALLKYTTON

Site do Escritor