Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sonho Doce

Sonho doce,
sem raiz,
sonho de sonhar
sem aniz.

Roço o céu de sua pele,
misto o absurdo com o feliz,
o princípio que não teve fim,
o princípio sem resmas,
que nunca vai começar,
que nunca vai acabar, pois
tudo em mim já partiu.

Coisa da coisa
que faz outra,
mas não faz o dengo,
pois o tempo é lento,
e foram criadas no templo
dos senões.

Faz dengo de amor e alenta
para folhagens sem ramos,
absurda meu sonho desatento.

Senão eu vou; senão eu volto,
me rasgo, suspiro o doce,
vago aroma
que flerta com o ar,
croácia o sol com nuvens
tão brancas como sua face,
que simplica a vida e de
mim só roça e purifica.

Pásaros coleiros que deixam
no ar rastros de verão,
e me empurram lá prá longe
onde o sonho começa
e você acorda sem corpos de
ninguém.
E, no ar,só aroma de ameixas!

Agora,só o simples de seu corpo passou
aqui;
só a mestra de sua vida,
me roçou lenta e amável,
nesta noite que agora começa,
e só para o sol tem
hora prá acabar.

Verde anil de seus olhos,
entrevero de minha alma,
corpo do mundo que nunca vou ter,
lábios sem beijos, que vou sonhar,
vida de duas pátrias
que um dia,só vou lembrar!

José Kappel
Enviado por José Kappel em 19/05/2006
Código do texto: T158728
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26782 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:48)
José Kappel