Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poesia de Bolso 28 ( Espera )

Faz frio na cidade
As horas todas de gelada espera
Que posso querer da noite que passa?
Duas horas da manhã
Num banco de praça do passeio público...
É isso também o poeta:
Sempre esperando por encontros não marcados
E esse cristal de lágrima
A lhe confundir o que é miopia ou neblina.
Se eu entrasse naquele bar defronte
E tomasse um conhaque
Talvez encontrasse para os olhos
O colírio terapêutico de um sorriso...
Aldo Guerra
Enviado por Aldo Guerra em 20/05/2006
Código do texto: T159771
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aldo Guerra
Rio das Ostras - Rio de Janeiro - Brasil, 60 anos
296 textos (26102 leituras)
3 áudios (490 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 23:22)
Aldo Guerra