Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NÃO FAREI VERSOS DO QUE NÃO SEI

Não escreverei poemas sobre sonhos.
Não falarei de castelos,
príncipes, rainhas e reis.
Não falarei de olhos belos,
nem das coisas que passei.
Não farei poemas sobre o futuro.
Tampouco é minha matéria o que se foi.
O que vem é obscuro,
não tenho olhos pra ver.
Não me pertence o passado,
que não posso em mim reter.
Minha matéria é o agora.
O que vejo é o que há.
O tempo não pára e nem se demora
porque o queiramos parar.
Não farei belos versos sobre o que não sei,
tampouco sobre o que já aprendi.
O que não sei terá sua hora.
O que já aprendi já teve seu momento.
Viver em hora futura é perder o agora.
Pensar no que já foi é perder tempo.
Minha matéria é o hoje.
Meu lugar é o aqui.
Não perderei o agora
vivendo de expectativas do que nem sei
ou de lembranças do que passei.
Meu agora é o embrião
do que ainda construirei.
Não farei versos do que não sei.
Tampouco me perderei.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 09/05/2005
Código do texto: T15988

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154033 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:15)
Débora Denadai

Site do Escritor