Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

autoconfissão


Autoconfissão.

Lareira acesa, tantas formas
Entre as brasas, dolorido som
Da madeira queimando lembranças,
O fogo brando brinca aos meus olhos,
Não espanta os fantasmas,
Não move os relógios,
Não me protege da noite.
E toda a claridade da lua,
Reflete na taça em que bebo
Doses de saudade.
O mundo atrás da janela,
Há muito perdeu o sentido,
Em meio a tanta iniqüidade,
E meus versos não mudam nada,
Confesso-me neles, tão culpado como todos,
Acendo meu cachimbo, mais um conhaque
E findo.
Sei que há muito além da janela,
Mas a quem importa todas as dores,
Que calmamente o fogo incinera?

Tonho França
Tonho França
Enviado por Tonho França em 23/05/2006
Código do texto: T161586
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Tonho França
Guaratinguetá - São Paulo - Brasil, 51 anos
82 textos (5757 leituras)
4 e-livros (356 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:16)
Tonho França