Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Re:Pecado Matinal

Palavra que me flúi na alma
Em forma de terço
Ampla manha que me desperta num só suspiro
Inspiro, expiro e navego em veias que corre à força de sangue
Descrição da composição de letras que tu entendes sempre.
Não tenho jeito nem enjeito para compor poemas
Não tenho rimas nem certos que me acolham os segredos
Não sei fazer duplix
Talvez seja um erro
Não sou poeta
Nem poema
Verso ou terceto
Não cumpro regras nos textos nem na vida
Melancolia que escreve
Saudade que transporto
Medo do enredo que me atropelo
Vida anestesiada pelo todo e pelo nada
Que tu ora me entendes ora me esqueces.
Perdoa-me esta manhã
Este amanhecer
Desperto pelas tuas palavras
Emblema da vida
Sedução rara!
Qual mapa
Qual astros
Qual escrita narrativa
Qual vida activa.
Isto sou eu!
Fruto do pecado matinal
Joana Sousa Freitas
Enviado por Joana Sousa Freitas em 24/05/2006
Código do texto: T161857
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Joana Sousa Freitas
Portugal, 40 anos
118 textos (7239 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 18:19)
Joana Sousa Freitas