Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O beijo da lua

Solidão,
Sofrida,
Injusta.

Rasga-lhe
De pranto
O coração.

Não o
Deixa fugir.

Prende-o.

E rende-se
A ela.
 
A Solidão
Torna-se
Parte
Do solitário,
Torna-se amada
Um pecado querido.

Fundem-se
Os dois
Como noiva,
E companheiro.

E juntos,
Enrolam-se
Em sua
Própria dor.
 
Sem
Denúncias!
 
Em busca
Do nada!
 
E o nada vem,
Como manto
De púrpura
Cobrir
A nudez
Da alma
Solitária
Que anseia
Por amor.

E surge a tristeza,
E rouba a magia,
A alegria de viver.

O só,
Sofre calado.
 
Não conta
A ninguém.

Não tem
Com
Quem dizer.

Do medo
De perder.

Do medo,
De receber,
O espírito
De sol,
Que como
Beijo da lua
Faz-lhe
Suaves
Carícias
Na face
Conturbada,
Derramada
Em lágrimas.

Afaga-lhe
Os sentimentos
Mais profundos
Mais íntimos.

Até fazer
Compreender
E aceitar,
A beleza
Apaixonada.

Que como
Sopro de fada
Abre-lhe os olhos
Para despertá-lo,
Do sono
De morte
Da solidão!
Maria
Enviado por Maria em 24/05/2006
Reeditado em 04/06/2011
Código do texto: T161880
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria
Blumenau - Santa Catarina - Brasil
4549 textos (185891 leituras)
1 e-livros (103 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 09:59)
Maria

Site do Escritor