Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM POVO QUE AINDA NÃO DESPERTOU  -    BRASIL



Homens, mulheres, velhos e crianças,
Marcham rumo à Capital do Brasil,
O voo vermelho da moradia,
Movimento esquerdista da terra.

Milhões de trabalhares sem terra,
Sem teto e sem distribuição de renda,
É a luta que se trava sem esperanças.

São os pobres do Brasil,
Os brasileiros sem teto,
Sem casa e sem trabalho,
Marginalizados pela globalização,
De um grande progresso de corrupção.

Acampamentos de trabalhadores rurais,
A espera de uma reforma agrária,
Que nunca sai e se torna lenta,
Com pagamentos em títulos agrários.

É o Brasil de toda a América Latina,
O quinto gigantesco do mundo.
É o Brasil bom de criar...

Lavradores cansados de esperar,
Um pedaço de terra pra morar,
São situações constrangedoras,
Água escassa e sem eletricidade.

Brasil! Abre o olho rapaz!
És o país dos latifundiários!

Faça justiça e não deixes os teus filhos,
Amanhecerem com fome e sede.

O homem pobre luta por questões sociais,
Reflexo de todas as guerras do passado.

Mão de obra barata e sem moradia,
No gigante da maior nação - Brasil.

Ainda diz: “O Petróleo é nosso”
Ou “Plante que o governo garante”.

Futuro incerto são aquelas crianças,
Que vivem naqueles movimentos,
Nas lides por um pedaço de pão,
Para plantar no futuro uma mandioca.

A saúde do Brasil é uma prisão,
O homem já não tem mais valor.

O plano de saúde pública,
Está investido na corrupção,
Todos querem buscar o que gastou,
Nas bonitas campanhas.

Brasil de larga extensão territorial,
Aspirações democráticas tardias,

Brasil é o relógio que atrasa as horas.

É uma história que se arrasta,
Desde o seu descobrimento,
É sempre manchete no jornal,
Virando capa internacional.

A força da massa é dos pobres,
Que não possuem teto pra morar,
O negócio é atrair capital estrangeiro,
Aumentar o PIB e fazer CPIs,

Há empresas que se instalam aqui,
A procura de ganhar mais,
E levar seus lucros lá pra fora.

Isso é que é desenvolvimento.
Onde se compra a mão de obra,
Com três notas de cem reais.

País do futuro que não dá lotes,
Para os filhos que nascem,
E não tem onde morar,
E sendo bom amigo Boliviano,
Presenteia suas instalações,
Que custaram o suor do seu povo.

Todos os dias campeiam as fraudes,
O Brasil parece ser campeão.

Os criminosos parecem dominar,
As instituições do Brasil.

Atacam instantaneamente,
Em qualquer lugar do Brasil,
Mostrando sua fortaleza,
Com tecnologia de ponta.

Exemplo de bom governo,
Que leva o tema ao mundo da fome,
Com altas concentrações de rendas,
Nas desigualdades sociais,
E também econômicas.

Não adianta investir,
Em míseros programas sociais,
Ofertando ao seu povo cem reais,
Tens que combater a corrupção,
Fazer uma limpeza com sabão.

A previdência nunca tem dinheiro,
Só quem conhece é a corruptela,
Que saca sem dó milhões.

O Brasil não é a Somália,
E tão pouco é a Nigéria,
Ainda há muitos e grandes brasileiros,
Que vão tomar este poder,
E fazer o Brasil crescer.



D.R.A
ERASMO SHALLKYTTON
Enviado por ERASMO SHALLKYTTON em 25/05/2006
Reeditado em 27/09/2011
Código do texto: T162957
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ERASMO SHALLKYTTON
Caxias - Maranhão - Brasil
4168 textos (2055933 leituras)
1 áudios (971 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 22:29)
ERASMO SHALLKYTTON

Site do Escritor