Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ele é poeta.





Após a morte do poeta
Querem faze-lo celebridade.
As minhas vísceras em particular,
Vão...Vão importarem-se
Com o gosto do leitor.

O fruto atiçará outros egos,
Mas açoitará com poder,
Sem permissão,
Porque não quer querer...
A força de mover sonhos...
Entre o sol e a lua,
O céu e a terra,
E talvez nada a declarar
Para o poeta em vida.

Assim fica difícil saber
Se o lado sensitivo pode ceder
E escorrer para os bueiros,
Juntamente com as lagrimas de esperança,
Encontrando no caminho
Com as águas pluviais,
E de repente ganhar um rio.

Achar o mar...
E é por isso que o mar
É aquela beleza imensa,
Porque as lagrimas
De todos os poetas
Estão juntas nele,
Inclusive as do senhor
Jesus Cristo.
Condor Azul
Enviado por Condor Azul em 25/05/2006
Código do texto: T163031
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Condor Azul
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 54 anos
721 textos (26292 leituras)
1 áudios (175 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:54)
Condor Azul