Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dos Tempos, Dos Idos

Tempos Idos
Horas e horas perco
na rua. Vejo gente de todo tipo
e tamanho agreste.
Vejo ruas e avenidas, vielas
e becos.
Me perco no primeiro beco.
É lá que mora a tal felicidade!
Cheia de mulheres avulsas e coloridas,
de espartilhos cerrados e bustos agigantados.
Não faço por mal. Por mal não faço.
Mas me sinto sozinho e devagar
nesta história de amar prá sempre
pois prá mim não tem lugar,
mas agora é só alugar
que meu vazio passa.
mMs a bruta paixão sempre acaba
por desabar nos aventais da vida
sem primo, pais,parentes
- todos idos!

As Vergas
Tenho duas vergas,
um carro e e uma casa miúda.
Sou trabalhador forçado,
deste que são obrigados a
festejar todos os dias o fruto
do rotina amena e tediosa.
Mas amor que é bom, a quem dar?
Trabalho com ferro e por isso
sou bruto de nasceça, sem perdão
prá chorar.
Agora, pergunto prá cá:
Onde está tal amor
que dele falaram tanto
mas para mim não vem aqui
nem prá pescar!

Reis
Sou rei de duas terras
uma prá dar, outra prá vender,
mas todas elas de bons frutos
e bom sol - quente e fagueiro.
Nao quero mais terras nem ser rei!
Cansei das duas coisas.
Como se cansa de andar.
Prá que quero tudo isso
se não tenho mais ninguém
pra nela frutificar?
Os homens levaram minha
espada e meu coração.
Deixaram um vazio tão grande
sem elo, mas vazio de paixão!

Corpo
Passeio nos corpos a volta
dela
são todos vazios e a procura do
que não acham.
Sou forte e grosso, pronto prá revidar.
Passeio no corpo dela
e remo em seus braços uma canção eterna.
Depois dizem que o amor não existe.
Ora tal! Se existe! Mas nos corpos dos outros
que estão apenas de passagem e nunca
provaram o verdadeiro suco delas!
O amor nunca vai chegar!

Corpo de Orquestra
Fugaz são as coisas passageiras
e eu estou cheia delas.
Uma hora me levam, outras
me tomam,
tudo cercado por regalias do céu.
Não vivo mais no passageiro
porque isso me levou ao caos
aos sem classe.
Hoje sou instrumento sem corda,
uma grande orquestra sem música.
Mas dá prá duvidar!
Porque logo eu resolveram me levar?


Tempo Demais
Tudo na vida tem seu tempo!
Eu já fui no meu, sem chorar.
Vieram e carregaram,
como se leva um caixão sem nome.
Não perca tempo fundando alvíssaras
futilidades que o tempo te prepara.
Seja grande, mas não seja omisso.
Seja forte, mas não seja correção de ninhos.
Faça sua vida a vida dela.
E depois entre no portal do seu espírito,
no âmago de seu destino.
Pois lá está ela já espera.

Amor Alado
Vivo simples e composto.
Vivo a espera, sem dengo ou meros sonhos.
Quero voltar no tempo e esperar
o tempo de novo me levar!
Pra terra dos homens que só sabem ganhar
perder só de mansinho.
Prá lá quero voltar.
Mas à força não vou
Sou maçã de ferro
derretida em tempos coloridos.
Maçãs: desta de comer
em dia de festa que
não tem jeito de acabar.
Por isso , não me espere.
Sou roda, sem fortuna.
Sou homem que só quer voltar
ao tempo da roda, das mãos dadas
do amor alado.

Confins
Longe ficam as coisas
que lá você quer alcançar.
Longe fica a vida que na plenitude
você quer viver.
Não se acanhe com o tempo
Ele é fugaz e
bem traiçoiçoeiro
ele diz que sim
mas hora faz que não
E te leva pros cofins da terra
onde nem de amor se houve falar!

Sagaz
Finge ser sagaz e pouco volúvel.
Se arme de douradas flechas por inteiro
e passe seus dias no gozo dos alpendres,
no rebate do sol.
Se é sua sombra, garde-a para sempre.
Um dia você vem, noutro você vai.
Mas se você cai nas garras do tempo!
Tem tudo a perder e nada a ganhar
O tempo é a garantia de sua
morte
a contagem e seus dias.
O tempo é cruel e valente
e você é apenas fruto de suas asas
fraco e sempre atado
que deixa sua vida sempre parada!

O Alvo
Hora de errar
faz o alvo e finge
que passou de longe, por azar!
Não acerte o alvo, sesmo que ele se mova -
pode ser gente - cascata nossa -
gente de carne e osso
sem parentes
mas que estão ali prá fuzilar.
Faça melhor passe a amar!
Pegue o que você tem bom
e vá com ela.
O amor não tem caminhos, o que vier
é o certo.
Faça de verdade, ame o que tem
e o que está por vir.
Se é esta a sua vez, dela não há como escapar
Só o salva o ato de amar!

Criança
O apanágio é invenção de criança.
E corte no dedo,
é ranhura nas pernas.
Ma se soubesse eu que, o apanágio
na vida de todo mundo
é ser criança,
nunca teria saido de lá.
mas, o tempo, ah! tempo se dó,
trata de se maquiar de falsa gente
e levar a crianca que eu era minha, prá vida
de outros homens, para caminho dos breus solitários.
Mas, enfim, está instalada a ilusão,
acabaram de afundar os meus dias
na mais pura solidão.
Seu destino - hora de errar
Perdoar a gente não perdoa não!

Passando
Foi por amor que
a deixei. Um casulo de beleza,
uma formosura de dar dor.
Tive medo na hora, e fugi de tudo.
Antes, pensei bem - Se a teho agora,
por uns dias se for,
também vou , um dia, perdê-la
para o astro gigante,
qe com sua e foracidade
vem a terra dos homens
para levá-la para outra
terra, mais longíncua.
Como homem de bom coração,
resolvi dexá-la de de lado.
E sabem porquê?
Por que tenho a perder
e as asas do tempo
me levar pra lugar nenhum
nem para os seios dela -
Mas sei,o levar não perdoa,
ao contrário, nem coroa
deixa a gente levar!

Dois Pares
Tenho dois pares
de sapatos:
um prá ir, outro prá voltar.
E não me digam que não.
Voltar é tão simples como o nascer
de uma flor e tão complexo
como fazê-la dourar de beleza formidável.
Voltar é fácil.
Basta apertar em cima de seu coração
e você se esvai pelos caminhos
da vida, sem nenhuma oração.
Mas nessa história, tem sempre
gente de plantão
prá levar prá longe
o que você tem mais de querido!

Ardência
Tenho pressentimento
e visões e sentimentos avulsos
de percas.
Não é lá pelo século andando,
sou eu fruto dos perdidos.
Perdi o pai carinhoso,
a mãe maravilhosa,
e muita gente que só de falar dá vontade
de chorar.
Mas que vou fazer? Quando a gente nasce,
parece que assina termos
em cartórios invisíveis:
Você tem, mas perde,
Você conquista, mas arde de tristeza!
Porque se tudo passa
roda de vez sua vida também,
tudo por bem querer,
do céu e estrelas
que estão sempre na vida vida,
à esqueda!

Frutas Doces
Vi as coisas cresceram ao redor.
E elas foram-se se transformando.
Passa um dia, passadiço do tempo -
e lá estão as coisas mudando.
A gente não vê
porque é pobre de vista.
Mas as coisas estão passando.
Vão também pedras e montanhas.
Na vida tudo passa, mas para eternizar
arrume lá a mulher mais dengosa
cerca-a de carinho e frutas,
e faça dela o suco de sua vida
e faça dela o século que vem depois.
Ai, sim, nada mais morre,nem se move!
É o amor eterno nascendo!

Gosto
Tudo por nada.
Nada por alguma coisa.
Fui a festa do rei e só encontrei camas!
E, curioso, perguntei a um pajém descansando,
do porque de tantas camas.
O homem mascado de armaduras me disse:
É o rei: cada dia ele dorme com uma rainha
E disse que mulher é igual a uma rinha!
Não gosta de deitar no sobretudo de outra.
Mulher, formosa e bela, não gosta do gosto da outra.
Mas gosta de saber o que você faz com uma, faz com outra!

Afago
Aliás tudo vai mal -
Me perguntou o homem da rua.
-Como vão as coisas -
perguntou ele, cético de
minhas pobres coisas -
Vou bem e vou mal
Bem por saber que a vida são duas
E mal por entender o passageiro
das coisas mais simples.
Se sou eu, afago,
Se é ela, me enternece
e com seu amor me guarnece.
Mas dela só quero seu afago, perdão
e amores avulsos sob os cabelos dela.
E disso que da vida a gente leva!

Bom Senhor
Já vi de tudo,
de casco a tombadilho,
já vi o mar,
o céu
e a prontidão.
Vi homens lutando por migalhas de
pão.
Mas não foi um ano bom.
Perdi tudo o que tinha.
E quase muito tempo depois
fui achar os perdidos no colo dela.
Feliz vitória de um homem que um dia
achou que era só e foi descobrir que o eu
só não existe.
Existe distância e reta - meu bom senhor -
mais com uma flor, uma triste flor
você consegue tudo de volta
bem quando o sol vai ser pôr.
Meu bom senhor, é tudo que aresta!
Tudo o te testa
Nesta vida onde mais levam do que trazem!

Passageiro
Busco todas as horas do dia,
uma caminho que não sejam de trovoadas,
um caminho de paz onde raios impávidos
desmanchem o caminho de sua trilha.
Se é você é porque é você.
Nada no mundo tira isso de seus braços.
Se seu caminho é rude, rude é a vida.
Mas bom conselho se dá:
procure sempre no âmago do céu
o apanágio de suas estrelas
o amor eterno que só você soube plantar
um dia fritifica mais na sua vida passageira.
José Kappel
Enviado por José Kappel em 30/05/2006
Código do texto: T165746
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26787 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 03:39)
José Kappel