Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Brados de Castela

Querida amante:
parto agora sem perguntas
parto agora com angústias,
parto com desespero.
Se me pergunta o porquê,
digo atravessado:
ao largo passou o meu tempo
e eles revoaram pelo
céu adentro sem marcar dias.

Fiquei eu, passado e obsoleto
ocasional com uma estrada de
três vias:
e nenhuma delas dirigia-se
pro seu coração.

Parto agora.Parto sim.

Vou sozinho e o o desespero
que vivia entre nós, carrego eu
na mula-manca;
carrego eu, sem rezas.

Fui uma vez
prá nunca mais
tentar ser.

Perdi prá não achar.
ganhei almejos de
saudades e mando um adeus:
segue seu caminho
que eu sigo o meu.

Não há mágica em se deixar.
A mágica estaria se
me alfaiatasse
de rei sem castelo.
Me aviste em alto-mar!
Pelos brados de Castela!
José Kappel
Enviado por José Kappel em 30/05/2006
Código do texto: T165749
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26783 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 19:52)
José Kappel