Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FIGURAS DE LINGUAGEM

Re-experimento a saudade
A distância
A falta mesmo
(em carne-viva e verbo rasgado)
- Sem eufemismo -
- Sem disfemismo -
Objetiva
Rasa
E concreta,
Na exata razão da ausência do palpável
(E audível).
E o prazer
- Ilógico e impróprio -
Dessa pitada apimentada de contrariedade
Da ferida cultivada
(que não mata, mas não alivia)
Aberta - como tem que ser -
(senão é cicatriz, não é ferida).
Esse dente do siso
Que não nasce nem desiste
Essa variável constante
O “band-aid” da Elis
(Torturante, mas imprescindível)
Entre um whisky e outro
A seco
- Sem guaraná ou anestesia -
Esse calcanhar de Aquiles
Essa bile
Esse intervalo
Meio inter-calo...
Meio intercurso...
Bom pra relembrar
Que meu amor-Branca-de-Neve
Pode até dormir

Em berço esplêndido,
Deitado,

No decúbito das palavras indevidas
À mesa do meu blefe
(par de damas cobrindo as trincas)
Sob lábaros estrelados
- ou não...
Ou redomas de vidro, que fossem...

Mas não eternamente.
Dalila Langoni
Enviado por Dalila Langoni em 30/05/2006
Reeditado em 31/05/2006
Código do texto: T166300
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Dalila Langoni
Estados Unidos
102 textos (6277 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 06:24)
Dalila Langoni