Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Esquina dos Suspeitos

Hora de errar,
de fingir que as coisas
são do longe,
que a faixa é branca
mas você só pisa no vermelho.

Hora de errar,
entrar e sair,
ponderar, sem pensar,
esquecer,
sem sentir,
que um dia
fui saia dela,
sua imagem viva
espelhada
de pó-de-arroz e
pincéis de cor.

Faço o destino e finjo
que passou de longe, por azar!

Nunca acerto o vivo,
sesmo que ele não se mova.

Pego o que tenho
e passo largo da vida,
dobreada de esquinas
suspeitas.

O amor já não tem caminhos, o que vier
é o sobra da vida.

E de sobras, me sobram
suspeito de amar e querer,
onde tudo se esvai, tudo se sobra.

Se é esta a nossa vez,
dela não há como escapar:
 
o vento norte é sutil
e prá longe me carrega de novo
prá longe da saia dela,
da vida que é a vida dela,
para amparar os meus escombros
que é presente da vida,
esquecido nas esquinas das avenidas,
solene e só, abordado por néon
onde só a sombra prevalece.
José Kappel
Enviado por José Kappel em 01/06/2006
Código do texto: T167142
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26785 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 20:38)
José Kappel