Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sombras e Sobras

Voraz coragem,
eis o que não me rareia,
cedros e muros de puro
medo,
eis o que me sobra.

De um lado, sem sombras,
me abato às figueiras
pomposas,
e lembranças as quais
batizo,
em pleno sol morno
de outono,
sem festas de rainhas,
me plaino, descalço, ao
no desafinado ano de 1800.

Rara fuga dos covardes
no absinto da cor:
me volupeio no corcel
e me rendo, indefeso,
às rendas e imprecisas
verdades, - verdades
tontas - calço dos deuses,
e que me acalentam suspiros
de dó:
um mundo só,
que só roda prá seu lado:
foi o que recebi.

Ah! vã esperança de
conquista
neste aval de
memórias semi-mortas!

Cá estou eu, avelado
às macieiras cujo maior
evento é
querer seus lábios
em aviz e mármore puro,
mas quanto acalenta !

Cá estou eu,dissipado,
algoz e dissidente
com puro medo
de voltar a perambular
pelo teu corpo
e voltar a gostar.

E por favor, no amiscar do sol,
não se lembre mais de mim,
e, nunca, augusto,
- rei dos césares -
nunca me deixe!
José Kappel
Enviado por José Kappel em 04/06/2006
Código do texto: T169080
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26781 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 16:27)
José Kappel