Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Versos Vagos

Que pena!

Onde eu pus minha pena?

Quem é aquela que me acena?

Atores preparem-se para a cena!

Foi-se o amor
Que pena!

Foi no meio da confusão dos versos, um verdadeiro furor
Onde será que foi parar minha pena?

Do outro lado da rua, mas do mesmo lado do coração
Quem será aquela que me acena?

Escuro, câmera, reação.
Atores! Preparem-se para a cena!

                     ==//==

Considerando que o espaço sideral
Compõe-se de estrelas e planetas!

O aluno se intrometeu: e cometas!

Desconsiderando o espaço federal
Descompõe-se de astros e galáxias.

Novamente o aluno se intrometeu: que falácia!

Reconsiderando o espaço fractal
Recompõe-se de buracos negros e meteoritos.

Não é melhor o senhor mudar de assunto?

                  ==//==

Paratempo
Passa-raio
Espalha-vento.

Os ponteiros do relógio dançam
Os ponteiros do relógio riem
Mas os ponteiros não andam.

O raio raiou no arraial
Raivou todo o pessoal
O raio reverberou no matagal.

Eu cato sentimentos
E espalho os ventos
Mas não espalho sofrimentos.

05/06/06
Miguel Rodrigues
Enviado por Miguel Rodrigues em 05/06/2006
Reeditado em 05/06/2006
Código do texto: T169981
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Rodrigues
Barueri - São Paulo - Brasil, 33 anos
1434 textos (42672 leituras)
6 e-livros (1681 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 08:01)
Miguel Rodrigues