Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meu irmão do outro lado do portão


Quando a alvorada
Do dia chega.

E vejo o
Silêncio do mundo.

Contemplo a dor
Dos que passam,
Naquele exato segundo.
 
Entendo que minha dor,
Não é nada perto daquela,
Guardo o lenço,
Saio da janela,
E vou prá estrada ajudar.

É esse
Meu caminhar.
 
Já sei de minha missão.
Esquecer minha
Angústia sem fim.

Vestir a armadura em mim,
Ir para o campo outra vez.
Pois lá tem camponês
Precisando de bálsamo-luz.
 
Coisa mais
Triste da vida.
De morte foi atingido
Por mulher que
Via querida,
Mas que não tinha
Coração.

Lhe tirou
Da mente a razão.
E até a vontade
De viver.
 
Agora precisa
De mim.
De minhas
Mãos de Maria.

Que tocam,
Consolam,
Acalmam
O seu triste
Coração.

Descobri,
Ele é o meu irmão
Do outro lado
Do portão.
Maria
Enviado por Maria em 07/06/2006
Reeditado em 07/06/2006
Código do texto: T170783
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria
Blumenau - Santa Catarina - Brasil
4551 textos (185963 leituras)
1 e-livros (103 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 14:44)
Maria

Site do Escritor