Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Flores do mal

acordei com a morte à minha porta,
ela estava ali, recostada no portal,
quieta,  na espreita que lhe é peculiar.
não me disse sequer, bom-dia!

entendi tudo, minhas bases ruíram,
perdi o pé que suportava minha dor,
acabou a morfina que me sustentava,
morreu a esperança que nascia

os vermes, imundos e carcomidos,
digladiam entre meus órgãos vitais
querem que eu morra antes da hora
querem viver da minha morte

ah mundo insano e doente,
não há poesia quando si morre,
nem morte que não mereça um verso
ó morte, ó vida, ó amor!!!...
Pedro Cardoso DF
Enviado por Pedro Cardoso DF em 08/06/2006
Código do texto: T171727
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pedro Cardoso DF
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 68 anos
4320 textos (94834 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:40)
Pedro Cardoso DF