Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poesia de minhas mãos.

Poesia de minhas mãos.
Sandra Ravanini



Poesia de minhas mãos, desarma o peito
e finca essas letras sem luz... sem querer
rompem barreiras do silêncio aceito,
nos conflitos dessa pequenez, se morrer
na negridão à irmã da luz sorrindo,
em qualquer dia que fui embora num domingo.


Poesia de minhas mãos, choro declamado
na voz infantil, à vera, entardecer
da criança que viu o pôr-do-sol chorando,
porque é a ama da luz, alvorecer
na luz que ama, tal flor em descampado,
noutro dia frio que fui embora no sábado.


Poesia de minhas mãos, ensaio a clareação
no canto da ave branca em senil cor,
suplicas em gotas de iluminação,
no orvalho que reflete o meu amor,
secando aos poucos o mel que me resta,
doutro dia que fui embora numa sexta.


Poesia de minhas mãos, espinhos ou florais
prematuros que antecipam o limiar,
se, lá no fim, dessas lareiras invernais
dentro de mim, consumindo esse quietar
latente, adiando o verso já sem tinta,
num fim de dia em que morri numa quinta.

22/05/2006

Sandra Ravanini
Enviado por Sandra Ravanini em 08/06/2006
Código do texto: T171737

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Sandra Ravanini / www.recantodasletras.com.br/autores/sandraravanini). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Áudio
Poesia de minhas mãos - Sandra Ravanini
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sandra Ravanini
Campinas - São Paulo - Brasil, 52 anos
161 textos (7108 leituras)
21 áudios (608 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:51)
Sandra Ravanini