Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

***PERDIDA DE MIM***


De repente a solidão se instala
Acho que até de mim fui embora
Sem fechar a porta, sem dizer adeus
Sem mesmo falar “até à volta”...

De repente me vi tão sozinha de mim
Que nem me fazia mais parte
Coisa estranha de sentir
De gente que não mora em si...

Rabo-olhando os meus espaços
Circundantes e apêndices
Estão vazios, preenchidos de nada
Estou ficando apavorada...

Preciso de  um  jeito urgente
Para não deixar de ser gente
Inerte, apagada, transfigurada
Morrendo a cada dia num repente...

Preciso sair dessa enrascada
Inventando coisas sem motivo
Não sei ser assim desbotada
Meu profundo eu é reluzente...

Ah, não sei se devo preocupar
Pode ser apenas um dia sem graça
Quem sabe amanhã quando acordar
Estarei repleta de gentes de mim...

Daquelas tantas que me provocam
Intensa e descompensada confusão
Na briga da  tomada do meu cabresto
Quando amanheço longe e me perco...

Quem sabe amanhã, me reconheço!

Nikitita... a poetinha de Niterói












Angela Oliveira
Enviado por Angela Oliveira em 09/06/2006
Reeditado em 24/07/2008
Código do texto: T172575
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angela Oliveira
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 62 anos
315 textos (6578 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:22)
Angela Oliveira